24
fev
09

Histórias de Carnaval

Carnaval de 1999

Dias antes – CEFET-MG

Vital: Vou passar o Carnaval em Barão de Cocais.
ET: Meu pai tem uma casa em Barão. Mas eu nunca fui lá não.
Vital: Vamo?
Mateus: Eu vô pra Piedade tomar pinga. Fica pra próxima.
Rodrigo: Pede seu pai a chave emprestada. Aí rola de ir.
ET: Beleza. Vou pedir. Mas num faço idéia de como é a casa.
Vaca: Tem problema não.

Mesmo dia – casa do ET

 ET: Pai, tem um amigo meu que tem casa lá em Barão. Ele vai pra lá no Carnaval. Eu e mais outros dois amigos tamo querendo ir pra lá. Me empresta a chave da casa só pra gente ter onde dormir?
Pai do ET: Empresto. Mas a casa tá em construção ainda. As paredes estão um pouco mofadas, só tem uma cama e mais dois colchões, um fogão e uma televisão preto e branca.
ET: Tem problema não. É só pra passar uma noite.

Dia Seguinte – CEFET-MG

ET: Meu pai emprestou a chave.
Rodrigo: Então a gente vai.
Vital: Eu vou com minha família no sábado mesmo.
Vaca: Nós vamos no domingo. Pode deixar que eu compro as passagens na Rodoviária.

Domingo de Carnaval

16:00 – Vaca, Rodrigo e ET embarcam para Barão.
18:00 – Vital vai na Rodoviária de Barão encontrar com os três. Os quatro partem para procurar a casa do pai do ET.
18:30 – Eles encontram a casa. Depois de uns 5 minutos tentando abrir o portão, eles entram e percebem que a situação da casa é pior que eles imaginavam. Tinha mais mofo do que parede.
19:00 – Os quatro vão pra casa do Vital decidir o que eles vão fazer. A mãe do Vital convida os três para ficarem lá, mas como a casa já estava muito cheia, os três resolvem procurar um hotel. Rola um jogo de basquete na quadra da casa do Vital.
20:00 – Os três vão pro único hotel da cidade (existiam mais hotéis mas faz de conta que era o único) e recebem a notícia de que não há quarto disponível. Depois de molhar a mão do recepcionista com 50 reais, eles arranjam um quarto com uma cama para os três passarem a noite.
20:30 – Os três voltam pra casa do pai do ET para buscar dois colchões e levá-los para o hotel. Eles vão pro quarto, tomam banho e saem.
21:00 – Já na companhia do Vital, os quatro entram numa pizzaria e pedem uma pizza.
21:30 – Com o estômago excessivamente cheio, os quatro vão para a praça principal da cidade, onde haveria o Carnaval de rua. Resolvem beber cerveja num bar ali mesmo na praça.
22:30 – Não satisfeitos com cerveja, eles resolvem pedir destilados para beber. ET pede Malibu, mas o garçom diz que não tem. Então ele toma Cortezano.
23:00 – ET sente uma necessidade muito grande de ir até o hotel. Vital, Vaca e Rodrigo acham estranho.
23:05 – ET chega ao hotel. O recepcionista demora atendê-lo.
23:10 – O recepcionista entrega a chave do quarto ao ET. Ele sobe as escadas, mas é tarde demais. Nesse instante Vital aparece e presencia a cena. O recepcionista do hotel também chega. Não há mais nada a fazer.
23:15 – Os dois voltam para o bar, onde Vaca e Rodrigo perguntam o que aconteceu. Vital conta o que viu. ET explica uma outra versão. Vaca e Rodrigo até hoje não sabem o que realmente aconteceu .
00:00 – Conhecidos de Vital resolvem levar todos para o Carnaval em Santa Barbara, que segundo eles, estava bem melhor.
Madrugada a dentro: Em Santa Barbara, Rodrigo pega uma menina. Vaca pega outra. Vital e ET não conseguem pegar ninguém e resolvem comprar uma caipifruta. Eles se arrependem amargamente disso. Algumas horas depois, eles resolvem voltar pra Barão, mas descobrem que só haverá ônibus às 8 da manhã. Então eles resolvem passar a noite na Rodoviária de Santa Bárbara. Mas o inesperado acontece: primos de Vital, mais bêbados que os quatro aventureiros, chegam de carro e oferecem carona para Barão. Sem pensar em nada, os quatro aceitam e dividem com mais quatro um Fiat Palio. Eles seguem para Barão, como sardinhas dentro de uma lata, mas com a diferença que esta lata emitia um som muito alto. Para alegrar mais o clima de carnaval eles passam a viagem toda batendo as mãos na lataria do carro. Por obra divina, eles chegam sãos e salvos em Barão. No hotel, tiram dois ou um para ver quem dormirá na cama. Rodrigo ganha.

Segunda de Carnaval

08:00 – Vaca e ET acordam só para tomar o café do hotel, e volta pra dormir.
11:00 a 13:00 – Não faço idéia do que eles fizeram, mas provavelmente devem ter almoçado em algum lugar.
13:30 – Deixaram o Hotel e foram levar os colchões de volta a casa do pai do ET.
14:00 – Os quatro foram pra Rodoviária e ficaram conversando.
15:00 – ET, Vaca e Rodrigam voltaram pra BH.

Quinta Feira após o Carnaval – CEFET-MG

Mateus: E aí, como foi em Barão?
Vaca: Legal.
Rodrigo: Legal.
Vital: Mais ou menos. Tô com gosto da caipifruta na boca até hoje.
ET: Mais ou menos. Além do gosto da caipifruta, tô com gosto de outras substâncias na boca até hoje.
untitled1
FIM
Trilha sonora dessa história toda: “Pipoca” e “Mal Acostumado”- Araketu
Anúncios

5 Responses to “Histórias de Carnaval”


  1. fevereiro 25, 2009 às 15:44

    Pô Fernando! Muito legal seu blog. Essa história eu sei por causa do Vaca que sempre conta ela. Ele fala que a casa tava num mofo puro. Impossivel de respirar la dentro. Menciona isso ai no texto.

    Abração

  2. 3 bussainchains
    fevereiro 25, 2009 às 23:35

    ET, eu gostaria de registrar um protesto. O Hotel que vocês ficaram NÃO era o único hotel da cidade tá bom? Devia ter pelo menos outros 10.. na época, porque hoje, já até perdi a conta! hahahaha Até parece.

    Mas boa lembrança essa. Lembra que pra voltar de Santa Bárbara para Barão a gente estava esperando um ônibus da rodoviária que só ia sair umas 8 horas da manhã (e isso era umas 4hrs) e então, na estrada, veio um Paliozinho com o som ‘bombando’ e era meu primo? Ele socou 7 pessoas no carro aquele dia, todo mundo tonto. Antes da Lei Seca era cada uma hein…

    E também me lembro de outra música que marcou a história “Mal Acostumado – Araketu”

    Abraço

    • 4 omset
      fevereiro 26, 2009 às 17:05

      Rapaz!!! Você tem razão. Tanto que eu vou retificar o post. Bem lembrado. Pra vc ver que minha memória não tá muito boa quanto a sua.
      Valewww!!

  3. fevereiro 27, 2009 às 13:38

    Fala ET…..

    Chique demais esse caso de Barão… eu não lembrava de muita coisa não… muito doido.
    quando eu tava lendo eu lembrei de cara da musica que o vitalzim falou: mal acostumado do araketu.
    Ri pra caramba… depois continuei lendo as outras mensagens e vi que voce não tirou carteira até hoje… lembra que voce ficava me colocando praga e depois eu tive que te levar em casa…
    no ponto final do 1502B… hahahah em abril eu vou ter que renovar minha carteira que esta fazendo 10 anos e voce falando que eu ia tirar carteira depois de voce…

    Temos que marcar um golo pra lembrar dos casos…

    T+


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: