Arquivo de agosto \30\UTC 2010

30
ago
10

o capeta do vilarinho

Tava lembrando dia desses de uma famosa lenda urbana daqui de BH que assustou muita gente no início dos anos 90: o capeta do Vilarinho. Nem vou contar a história. Fizeram um filminho contando…

O que mais me lembro desse episódio é que eu ia pra escola de manhã, lá nos idos de 1990/1991, e todo dia por volta das 6h, o hit do capeta era executado no “Acorda Pascoal”!! Assim como “Feira de Acari”, este funk foi sucesso aqui em BH naquela época.

Pra quem quiser baixar esta pérola, aí vai o link!

http://www.4shared.com/audio/DfD8vcdJ/DeejotaMix__-__Capeta_Do_Vilar.htm

MEDO!

25
ago
10

Infliximabe: santo remédio?

Não tenho falado muito sobre minha doença ultimamente. Deve ser porque às vezes esqueço que a tenho… É verdade! Graças a Deus (e aos médicos) que desde abril, quando fiz a enterectomia, estou super bem. O Crohn está adormecido. E espero que fique por muito tempo.

E uma das possíveis causa desta remissão, deve ser o novo tratamento que iniciei após a cirurgia. INFLIXIMABE. Também conhecido como REMICADE.

O infliximabe é um agente biológico que foi introduzido como opção terapêutica na doença de Crohn no fim da década de 1990. Ou seja, bastente recente. Trata-se de um anticorpo monoclonal quimérico (com componentes humano e murino) contra o fator alfa de necrose tumoral(TNF). Esta droga tem se firmado como uma ferramenta importante no tratamento da doença de Crohn moderada ou grave, resistente ao tratamento convencional, com imunossupressores (como a azatioprina)e corticóides.

Nesta situação em que se enquadra meu caso, ou seja, doença moderada ou grave, com ou sem fístulas, resistente ao tratamento convencional, o infliximabe mostrou ser eficaz na indução da remissão, na melhora da qualidade de vida e na manutenção da remissão por até 54 semanas, após dose única.

A dose geralmente preconizada é de 5mg/kg, de 15 em 15 dias no primeiro mês, depois uma vez no mês seguinte, e depois de dois em dois meses. A aplicação é por infusão. A única coisa chata é ter que ir ao hospital para receber a dose, e ficar de molho durante uma manhã inteira a disposição.

Apesar disso, os médicos ainda têm certa precaução, ou reticência, a prescrever esse medicamento, primeiro pela falta de muitos estudos, e segundo pelos efeitos colaterais que são inúmeros.* Por sorte, só tenho tido dor de cabeça, no dia da aplicação. E mais nada…

Outra coisa a se considerar é o preço deste santo (?) remédio. Cada frasco de 100 mg custa nada mais, nada menos que cerca de 4 mil reais. (Entenda que como tenho quase 60 kg, devo usar três frascos). Por sorte, tal remédio pode ser conseguido na secretaria de saúde, após uma tremenda burocracia.

Não sei até quando me sentirei assim… Tenho a consciência que ainda tenho a doença. Mas há muito tempo, não e sentia tão bem. E gostaria de me sentir assim pra sempre.

!!! 12 mil reais, guardados em minha geladeira!!!

*Junto com os efeitos necessários para seu tratamento, os medicamentos podem causar efeitos não desejados. Apesar de nem todos estes efeitos colaterais ocorrerem, você deve procurar atendimento médico, caso algum deles ocorra. Assim como outros medicamentos, o REMICADE (infliximabe) pode causar efeitos adversos. A maioria destes efeitos é de intensidade leve a moderada. No entanto, alguns podem ser graves e podem necessitar de tratamento. Os efeitos adversos podem aparecer até 6 meses após a última infusão. Informe imediatamente ao seu médico se notar algum dos seguintes sintomas: dor ou inchaço no peito, músculo, articulações e mandíbula; inchaço das mãos, pés, tornozelos, face, lábios, boca ou garganta que possam dificultar o ato de engolir ou a respiração; urticária ou outros sinais de reação alérgica; febre; erupção; coceira; diminuição da respiração ao praticar exercícios ou ao se deitar ou inchaço nos pés; rubor. Informe ao seu médico assim que possível, se você notar os seguintes sintomas: sinais de infecção; dificuldade de respirar e tosse não-produtiva; problemas para urinar; mudanças no modo como seu coração bate, por exemplo, se ele bater mais rápido; delírio; cansaço; rouquidão; tosse; dor de cabeça; zumbido; entorpecimento; visão dupla ou outros problemas nos olhos; fraqueza nos braços e pernas. Os sintomas descritos acima podem ser sinais dos efeitos adversos citados abaixo, que têm sido observados com REMICADE (infliximabe): Comuns: Infecção viral (por exemplo, influenza e herpes), reações alérgicas, dor de cabeça, vertigem/tontura, rubor, infecções respiratórias (bronquite, pneumonia), dispnéia, sinusite, enjôos, diarréia, dor abdominal, dispepsia, erupção cutânea, prurido, urticária, aumento da sudorese, pele seca, cansaço, dor torácica, reações relacionadas à infusão e febre. Incomuns: Abcesso, celulite, monilíase, sepse, infecção por bactérias, tuberculose, infecção por fungos, doenças auto-imunes (lúpus, lúpus eritematoso sistêmico), reação alérgica do trato respiratório, reações anafiláticas, anemia, leucopenia, linfadenopatia, linfocitose, linfopenia, neutropenia, trombocitopenia, depressão, confusão, agitação, amnésia, apatia (desânimo), nervosismo, sonolência, insônia, exacerbação da doença desmineralizante sugestiva de esclerose múltipla, conjuntivite, endoftalmite, ceratoconjuntivite, edema periorbital, equimoses, hematoma, hipertensão, hipotensão, síncope, petéquias, tromboflebite, bradicardia, palpitação, vasoespasmo, cianose, isquemia periférica, arritmia, piora da insuficiência cardíaca, epistaxe, broncoespasmo, pleuris, edema pulmonar, constipação, refluxo gastroesofágico, queilite, diverticulite, colecistite, função hepática alterada, dermatite fúngica, onicomicose, eczema, seborréia, erupção bolhosa, furunculose, hiperqueratose, rosácea, verruga, pigmentação/coloração, mialgia, artralgia, dor nas costas, infecção do trato urinário, pielonefrite, vaginite, edema, dor, calafrios/tremores, reações no local da injeção auto-anticorpos e anormalidade do fator complemento. Raros: Meningite, insuficiência circulatória, taquicardia (batimentos do coração acelerados), derrame pleural, perfuração intestinal, estenose intestinal, hemorragia gastrintestinal, hepatite e lesão granulomatosa. Seu médico também pode solicitar exames para avaliar o funcionamento do fígado e a contagem dos elementos do sangue. Se você notar qualquer efeito adverso, que não esteja mencionado nesta bula, informe ao seu médico.
Atenção – Este é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis para comercialização, efeitos indesejáveis e não conhecidos podem ocorrer. Nesse caso, informe seu médico.
Fonte: Bula do Remicade.

17
ago
10

A mais nova de Vanusa

Depois do Hino Nacional, versão remix, o mais novo hit da Vanusa!!

Será efeito da Marvada? Fuminho bão? Ou o Antônio Marcos tá chamando ela??

07
ago
10

TBBT – poster da 4ª temporada

05
ago
10

Supernova 1987A em 3D